Volte para os artigos

Cofres virtuais: o que são e como posso utilizá-los

Huchas digitales - Celside Magazine
cofre virtual

cofre virtual é a solução de poupança disponibilizada por bancos e outras entidades financeiras. Funciona da mesma forma que o mealheiro vitalício, mas com algumas melhorias. Este sistema permite segmentar a poupança e repartir o dinheiro por diferentes “mealheiros” virtuais. Isto ajuda a distribuir o dinheiro conforme o âmbito ou a meta que nos proponhamos e a utilizá-lo de uma forma estratégica.

Os cofres virtuais constituem uma maneira diferente de poupar e são uma ferramenta online. Por conseguinte, a sua utilização é bastante simples. Com um par de cliques, é possível organizar o dinheiro e decidir quando e como utilizar as nossas poupanças.

Tudo o que se pode fazer com um cofre virtual

Nos mealheiros tradicionais, as moedas e notas eram colocadas no mesmo local e era impossível separar o dinheiro dentro dos mesmos. Por outro lado, os cofres virtuais para poupar permitem aplicar uma série de configurações que ajudam a programar a poupança e destinar o dinheiro a diferentes fundos.

Em termos rigorosos, o cofre virtual consiste numa subconta bancária para a qual é possível transferir dinheiro da conta principal. Vários bancos espanhóis oferecem este sistema de poupança e, além disso, permitem programar ou configurar o comportamento do cofre.

Desta forma, é possível estabelecer que todo o excedente de compras realizadas com a conta ou cartão principal seja transferido para o cofre virtual. Também se pode programar a transferência automática, para o mesmo, de uma percentagem do nosso saldo. Desta forma, agiliza-se o processo e não é necessário repartir o dinheiro todos os meses.

Segurança dos cofres virtuais

Os cofres virtuais são seguros. Ao contrário do mealheiro, que pode desaparecer misteriosamente ou quebrar-se de forma imprevista, as subcontas de poupança permanecem intactas. Além disso, cumprem todos os requisitos de segurança da conta principal. Ou seja, utilização de palavras-passe e verificação em dois passos com SMS ou códigos enviados de forma exclusiva para o nosso telefone.

Porque, tecnicamente, o que o banco faz é segmentar o dinheiro que se encontra na nossa conta, criando assim pequenas parcelas de poupança que se mantêm isoladas do fluxo de dinheiro movimentado na conta principal e que já se encontra protegido por todas as medidas de segurança necessárias.

Outras utilizações do cofre virtual

Os cofres virtuais também servem para separar os depósitos conforme os diferentes pagamentos a serem realizados. Isto permite, por exemplo, criar um cofre virtual no qual será depositado o valor exato da fatura de telefone. Desta forma, o banco irá separar mensalmente, do total de depósitos efetuados, o montante necessário para liquidar a fatura de telefone, transferindo o dinheiro para o cofre virtual correspondente.

Alguns bancos, inclusivamente, permitem partilhar os cofres virtuais com outras pessoas, o que ajuda a fomentar a poupança programada entre membros de uma família ou amigos com um objetivo em comum.

Benefícios dos cofres virtuais

O principal objetivo dos cofres virtuais é permitir controlar de uma forma mais precisa o fluxo de dinheiro da nossa conta bancária. A isto acresce o facto de serem gratuitos e de o seu uso não acarretar comissões adicionais.

Outro dos seus benefícios está relacionado com a liquidez. O dinheiro poupado através deste sistema está sempre disponível e pode ser levantado quando assim o entendermos.

Além disso, dependendo da entidade bancária, é possível criar tantos cofres virtuais quanto os objetivos de poupança e isto, naturalmente, também sem comissões, o que ajuda a fomentar a cultura de poupança através da tecnologia.

Limitações dos cofres virtuais

Embora o sistema de cofre virtual pareça ter apenas vantagens, também apresenta algumas limitações. Entre estas, por exemplo, não serve para domiciliar salários ou recibos e não permite transferências diretas a partir do mesmo. Também não é possível associá-lo a cartões de crédito ou débito.

Trata-se apenas de um espaço virtual que permite organizar o dinheiro. Contudo, não permite utilizar as mesmas ferramentas ou funções que uma conta corrente em utilização.

Por conseguinte, ao retirar dinheiro do cofre, é necessário transferi-lo sempre para a conta principal para depois se poder realizar as operações pertinentes, tais como pagamentos de contas ou transferências para terceiros.

Aplicações para aprender a poupar

Caso se queira dispor de dinheiro para gastar em caprichos ou se necessite de retirar dinheiro das poupanças para comprar bens necessários em casa, os cofres virtuais não são a única opção. Também existem aplicações que permitem organizar as contas e saber no que é que se gastou cada cêntimo. Algumas permitem, inclusivamente, ligar e sincronizar a conta do banco, para gerir outras funções. Algumas delas são:

  1. Google Pay

Uma aplicação que se encontra pré-instalada nos dispositivos Android. Funciona como carteira digital e permite unificar todos os cartões de crédito ou débito. Isto ajuda a controlar todas as despesas a partir do dispositivo, sem necessidade de entrar nos websites dos bancos.

  1. Spendee

Aparece como a escolha do editor no Google Play. Trata-se de uma aplicação que permite controlar despesas, orçamentos e poupanças. O seu ponto forte consiste nas infografias que explicam claramente o fluxo das receitas e despesas. Além disso, permite programar e planear o orçamento familiar. Tudo isto com o objetivo de poupar ou atribuir um determinado montante a um objetivo específico.

A aplicação pode ser sincronizada com o banco e funciona com várias divisas, para o caso de nos encontrarmos no estrangeiro. Permite ainda criar carteiras partilhadas com amigos e familiares.

  1. Money Manager

Outra aplicação que funciona como gestor de finanças. É simples e muito intuitiva. À semelhança de outras aplicações, oferece um sistema de gráficos e estatísticas para controlar tudo.

A aplicação suporta dispositivos Android, mas ainda não está disponível para o iOS. Acresce que não conta com um valor de divisa padrão europeu. Não obstante, é fácil de utilizar e o facto de não aparecer o símbolo do euro nos montantes não constitui impedimento à sua utilização.

Outras formas de poupar em casa

Para quem não esteja inclinado para utilizar cofres virtuais ou aplicações para telemóvel, também existem outros métodos de poupança em casa. A maioria depende da nossa atitude para com as despesas recorrentes e que é possível minimizar de alguma forma. Os passos a serem seguidos são:

  1. Utilizar dispositivos elétricos de baixo consumo

A primeira medida para poupar consiste em substituir todos os eletrodomésticos com elevado consumo energético. Gestos tão simples como a substituição de todas as lâmpadas de casa por outras de baixo consumo permitirão um final de mês com números positivos. Como é evidente, este tipo de medidas deve ser combinado com outros como, por exemplo, não abusar do aquecimento e do ar condicionado.

  1. Valorizar o isolamento térmico das janelas

Uma casa é um gerador de energia constante e o correto isolamento das janelas evita a fuga dessa energia para o exterior. Isto é fundamental, em especial no inverno, em que a utilização do aquecimento é intensiva. O isolamento das janelas irá manter o calor no interior durante muito mais tempo, reduzindo assim o consumo interno do aquecimento. Com isto, aumenta-se a capacidade de poupança.

  1. Comparar preços e procurar ofertas

A forma mais rápida e simples de manter uma boa saúde financeira é poupando e comparando preços. Isto ajuda a estabelecer rotinas de consumo baseadas na escolha consciente de produtos que sejam realmente necessários.

A comparação de preços permite saber qual é o preço mais justo em função das nossas necessidades. Se um produto tiver dez funções e se utilizar apenas duas delas, pode-se pensar no mesmo produto, mas mais barato e com menos funções.

  1. Criar um orçamento para o lar

O planeamento antecipado da economia doméstica é outra das chaves para se poupar. Tal não implica a utilização de aplicações ou a posse de um cofre virtual. Necessita-se apenas de um lápis e papel para tomar nota das contas e priorizar o que é verdadeiramente importante. Também se pode criar uma folha de cálculo num computador pessoal básico, inserindo nela todas as informações financeiras mês a mês para não perder o rasto a qualquer despesa.

210 60 83 29

De segunda a sexta-feira das 9h às 19h e no sábado das 10h às 18h.