Volte para os artigos

RetroArch no telemóvel, usufrua ao máximo da experiência de jogos

O mundo dos videojogos existe há décadas. No entanto, foi potenciado pelo desenvolvimento tecnológico. É por isso que se fala, hoje, de consolas e computadores de jogos, fazendo alusão a dispositivos especializados em jogos de última geração. Neste cenário de evolução das consolas e dos jogos, também existe um espaço para o retro. Isto, graças ao RetroArch PC e ao RetroArch Android, aplicações que permitem experimentar a nostalgia de jogos antigos e clássicos no telemóvel e no computador.

Mas antes de falar sobre o emulador RetroArch, é importante esclarecer o que é um emulador de jogos e o que permite fazer.

O que é um emulador de jogos

Um emulador de jogos é um pacote de software que se instala no computador ou telemóvel e funciona como uma consola virtual. Ou seja, copia e reproduz o comportamento da consola física original. Isto permite ativar os ficheiros ROM, que equivalem aos cartuchos de jogos antigos ou discos.

Existem vários tipos de emuladores. Alguns exigem que se transfira software ou aplicações, ao passo que outros permitem um acesso rápido e simples através do browser.

É importante assinalar que a maior parte dos emuladores reproduz jogos muito antigos, pelo que, por vezes, a qualidade do som e das imagens é bastante básica. Por outro lado, está disponível um amplo catálogo de jogos clássicos.

No que diz respeito a emuladores de jogo, podem ser identificadas as seguintes categorias:

Emuladores de jogos online

Os emuladores de jogos online não requerem qualquer instalação no dispositivo. O acesso aos mesmos efetua-se através de uma página Web na qual está instalado para se jogar diretamente. Por norma, a apresentação do jogo faz-se numa pequena janela que se pode ampliar para ecrã inteiro. Existem diversas configurações e é possível adaptar a forma como se usa o teclado para jogar. A lista de emuladores online é extensa, mas podemos destacar o Play Emulator, Let’s Play Sega, Megadrive-Emulator, Play Retro Games ou My Emulator.

Emuladores de jogos de PC

Para quem não queira experimentar os emuladores online, também existe a opção de transferir emuladores para o PC.  Existem vários e alguns estão vocacionados para uma consola específica. Por exemplo, o VisualBoy Advance, que é um emulador de GameBoy para PC ou WinDS Pro, que é um emulador da consola Nintendo DS e GameBoy.  

Existe igualmente o PPSSPP, um emulador de PSP para Windows ou Kawaks, que permite executar jogos da Capcom e da NeoGeo no computador. E a lista inclui muitos outros.

A maior parte dos emuladores permite configurar os controlos do jogo. Desta forma, é possível atribuir teclas a determinados movimentos, para agilizar as partidas.

Emuladores de jogos Android

Para quem se interesse por jogos para o telemóvel, existem os emuladores para Android. Estão disponíveis, entre os títulos, o Happy Chick, que emula as consolas clássicas GameBoy, NES e Mega Drive, entre outras. Está igualmente disponível o DraStic, que emula as consolas Nintendo DS, NES Games ou Damon PS2.

Também aqui, a lista é extensa. Para ver todos os emuladores, escreve-se «emuladores de jogo para transferir para o Android« na barra de procura do browser.

O que é o RetroArch

Em termos simples, o RetroArch é um programa que reúne vários emuladores num único software. Também pode ser definido como um super-emulador, que permite centralizar a experiência de jogo. Pode ser utilizado para executar um emulador de PS2 de um modo específico durante um tempo e, em seguida, mudar para um emulador de Nintendo 64, sem necessidade de sair do programa. Desta forma, o RetroArch e os respetivos jogos simplificam os passos para se mudar de uma consola para outra.

Além disso, o RetroArch é multiplataforma, pelo que pode ser utilizado tanto em telemóveis com sistema Android como em computadores com Windows, iOS ou Linux.  Nesse sentido, a única desvantagem que se lhe poderia apontar é a sua complexidade. Mas isso deve-se ao facto de que oferece numerosas opções de configuração. Permite modificar as teclas para jogar, rodar o ecrã, ativar o comando tátil, gravar secções, entre muitas outras funções.

A apresentação oficial do RetroArch oferece nove secções que incluem o menu principal, os ajustes, os favoritos, o historial, as imagens, a música, os vídeos, as salas de jogos em rede e a importação de conteúdo.

O programa foi concebido pela LibRetro, a organização que criou a API com o mesmo nome e que permite o funcionamento do RetroArch. A sua arquitetura baseia-se numa biblioteca na qual estão armazenados os núcleos dos emuladores. Estes, por sua vez, atuam através do lançador que permite executar as diversas ROMs. Como é evidente, o lançador é o RetroArch.

A LibRetro possui uma página Web oficial na qual fornece informações sobre as diferentes atualizações dos núcleos e quaisquer outros elementos chave.

Onde se pode transferir o RetroArch?

Uma vez compreendidos os emuladores e entendida a importância do RetroArch neste cenário, chega a hora de transferir a aplicação para o telemóvel ou computador. Para tal, abre-se a página Web do RetroArch e escolhe-se o sistema operativo no qual se vai instalar o programa.

O RetroArch é compatível com sistemas operativos antigos, como o Windows 95/98, e também suporta SO mais modernos, tais como Windows 10, o Linux, o Android e, inclusivamente, o iOS. Consoante o sistema operativo selecionado, aparece uma ligação de transferência com algumas indicações adicionais. Faz-se clique na ligação correspondente e inicia-se o processo.

Transferência do RetroArch para o computador

Caso se esteja a utilizar um PC, recomenda-se que o RetroArch seja transferido para uma pasta cujo caminho seja fácil de recordar. Por exemplo, C:/ ou C:/ Program files.

Transferência do RetroArch para o telemóvel

Caso se esteja a utilizar um telemóvel com Android, pode-se procurar a aplicação RetroArch diretamente na loja do Google Play. Neste caso, o processo de instalação é realizado automaticamente quando se seleciona a opção instalar. Em seguida, ao abrir a aplicação no telemóvel, devem aparecer as mesmas opções que na aplicação para PC.

Uma vez instalada a aplicação, pode-se percorrer o menu de opções do RetroArch para rever as opções disponíveis. Depois, pode-se começar a carregar os emuladores e as ROMs correspondentes.

Como carregar emuladores no RetroArch

Para carregar emuladores, é necessário ativar aquilo a que, na gíria informática, se dá o nome de núcleos, que são os pacotes que permitem executar os emuladores. O próprio programa apresenta uma lista dos mesmos e, para os selecionar, clica-se nos mesmos, um de cada vez. É possível identificá-los porque têm o nome da consola a ser emulada.

Uma vez escolhidos todos os emuladores a serem utilizados no RetroArch, é necessário carregar as ROMs.

Como carregar uma ROM no RetroArch

Convém salientar que o Retroarch não inclui, por defeito, as ROMs dos jogos que vão ser utilizados num determinado emulador pré-carregado. Por conseguinte, devem ser procuradas pelo próprio utilizador. Existem, na Internet, várias páginas dedicadas à compilação de ROMs às quais se pode aceder para iniciar a respetiva transferência.

Nalguns websites, inclusivamente, são disponibilizadas compilações comprimidas em formato Zip ou WinRar, que se podem descomprimir posteriormente no dispositivo utilizado.

É aconselhável agrupar todas as ROMs numa única pasta do dispositivo, para evitar dificuldades ao carregá-las no RetroArch. Depois de serem todas obtidas, procura-se a opção Load Content no programa e adiciona-se a ROM com a qual se vai começar a jogar. Concluído este passo, o RetroArch realiza uma configuração rápida para executar o jogo no dispositivo. Antes de começar a jogar, é importante rever as configurações dos controlos.

Aspetos legais das ROMs

Um dado importante relacionado com as ROMs é que nem todas cumprem os direitos de copyright. Neste caso, aplica-se o mesmo critério que no caso dos direitos na música.

Pode-se aceder a ROMs disponibilizadas pelos próprios criadores de consolas já expiradas ou aceder a plataformas nas quais a questão do copyright se caracterize pela sua ausência. Por último, existe a opção de aceder a serviços como o Virtual Console da Nintendo, em que, a troco de uma módica quantia, se pode aceder a jogos emblemáticos como o Super Mario, Pokémon Rangers ou Donkey Kong Country.

O RetroArch está disponível para PC e Windows

Para quem não pretenda ter o RetroArch instalado num telemóvel com sistema Android, é possível descarregar o RetroArch para Windows. No entanto, devem ser seguidas as instruções de RetroArch download na página oficial da aplicação, para saber qual é a versão adequada. Isto dependendo do sistema operativo que se possua.

As versões do Windows que permitem a transferência e instalação do RetroArch são as seguintes:
Windows 95/98, Windows 98SE/ME/2000, Windows Vista/XP (32 e 64 bits) e Windows 7/8/10 (32 e 64 bits).

Deve-se prestar atenção à arquitetura dos sistemas operativos. No caso de um computador antigo com SO de 32 bits, deve-se transferir a versão específica do RetroArch. Do mesmo modo, quem tenha um SO de 64 bits deve escolher a ligação correspondente à transferência para esse sistema operativo. Este é o motivo pelo qual existe, na página oficial da aplicação, uma ligação diferente para as diversas versões do sistema operativo Windows.

Agora que já estamos completamente informados sobre este programa e sabemos fazer a distinção entre o RetroArch Android e o RetroArch PC, podemos desfrutar ao máximo da nostalgia, com responsabilidade e bom senso. Algo que nunca deve faltar ao utilizar a tecnologia.

210 60 83 29

De segunda a sexta-feira das 9h às 19h e no sábado das 10h às 18h.